Feeds:
Posts
Comentários

Archive for abril \08\UTC 2010

Hoje estava rindo ao ler as tags do twitter do #renatorusso que foram postadas no aniversário dele , e me deu uma saudade do tempo que colocava as 4 estações, V, esquilibrio distante, que pais é este e o primeiro cd da Legião urbana no radio e ficava la na frente dele com os encartes cantando… passava a tarde inteira, as vezes repetindo a mesma musica incansavelmente. Isso quando eu ficava a tarde sozinha em casa, chorava ao imaginar o cenário de algumas musicas, ria com outras.. eu viajava ouvindo..

Mas meu irmão casou e levou a coleção dele embora.. copiei todos os cds, mas perdi alguns, outros riscaram, e o tempo passou, ja não tenho mas tempo para ficar horas só ouvindo musica e meu marido também não gosta tanto assim de legião…

Mas vou lembrar deles por toda minha vida, e até quando velhinha vou cantar, meus filhos ouvirão e farei o possivel para que meus netos tambem ouçam, convenhamos, são raros os compositores que deixaram uma marca assim como ele (não quero citar nomes para não ser injusta).

Quando minha mãe estava muito ocupada pra me ouvir eu começava a cantar “Sempre precisei de um pouco de atenção.. ” ou “Quero ter alguem com quem conversar..” funcionava rsrs.

Quero postar aqui duas musicas que tem um significado marcante pra mim (embora não se possa escolher uma favorita deles.. seria impossivel) a primeira eu me identificava muito com ela, me passa uma energia muito peculiar, “Andrea Dorea”,  o navio naufragado, era minha descrição no orkut até conhecer o Junior e então “Sete Cidades” começar a fazer muito sentido pra mim (sim isso é uma declaração de amor).

ANDRÉA DÓRIA
Letra: Renato Russo
Música: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá

Às vezes parecia que, de tanto acreditar
Em tudo que achávamos tão certo,
Teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais:
Faríamos floresta do deserto
E diamantes de pedaços de vidro.

Mas percebo agora
Que o teu sorriso
Vem diferente,
Quase parecendo te ferir.

Não queria te ver assim
Quero a tua força como era antes.
O que tens é isso teu
E de nada vale fugir
E não sentir mais nada.

Às vezes parecia que era só improvisar
E o mundo então seria um livro aberto,
Até chegar o dia em que tentamos ter demais,
Vendendo fácil o que não tinha preço.

Eu sei – é tudo sem sentido.
Quero ter alguém com quem conversar,
Alguém que depois não use o que eu disse
Contra mim.

Nada mais vai me ferir.
É que eu já me acostumei
Com a estrada errada que segui
E com a minha própria lei.

Tenho o que ficou
E tenho sorte até demais,
Como sei que tens também.

 

SETE CIDADES
Letra: Renato Russo
Música: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá

Já me acostumei com a tua voz.
Com teu rosto e teu olhar.
Me partiram em dois.
E procuro agora o que é minha metade.

Quando não estás aqui.
Sinto falta de mim mesmo.
E sinto falta do meu corpo junto ao teu.

Meu coração
É tão tosco e tão pobre.
Não sabe ainda os caminhos do mundo.

Quando não estás aqui.
Tenho medo de mim mesmo.
E sinto falta do teu corpo junto ao meu.

Vem depressa pra mim que eu não sei esperar.
Já fizemos promessas demais.
E já me acostumei com a tua voz.
Quando estou contigo estou em paz.

Quando não estás aqui.
Meu espirito se perde, voa longe.
Longe, longe.

Urbana Legio Omnia Vincit

Anúncios

Read Full Post »